FAO investigará fazendas onde pode ter surgido gripe suína

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO, na sigla em inglês), está enviando uma equipe para investigar fazendas comerciais de criação de porcos no México que poderiam ser a fonte do surto de gripe suína. O veterinário-chefe da FAO, Joseph Domenech, disse à BBC que os rumores de que pessoas teriam adoecido no mês passado perto de um grupo de fazendas de criação intensiva fizeram com que a organização decidisse iniciar a investigação.

BBC Brasil |

Os peritos chegam ao México nesta semana e devem ajudar o governo a avaliar a situação epidemiológica no setor de produção suína.

Nesta terça-feira, a Organização Mundial de Saúde (OMS), confirmou que 73 casos já foram diagnosticados no mundo.

A OMS ainda afirmou que, neste momento, a transmissão parece estar ocorrendo apenas de pessoa para pessoa.

"Não há nenhuma prova de que haja uma ameaça para a cadeia alimentar", disse Domenech. "Neste estágio, é uma crise humana e não uma crise animal, mas temos que estar em alerta e preparados."
"As primeiras ações que a FAO e outros órgãos têm que tomar é verificar se a nova cepa está circulando entre porcos, estabelecer se há ligações diretas entre a doença na população humana e os animais e explicar como este novo vírus obteve material genético de cepas de gripes humanas, suínas e aviárias", afirmou.

Variante
A nova variação do vírus H1N1 foi identificada no México. Suspeita-se que 152 pessoas tenham morrido no país por conta da doença, mas apenas 20 diagnósticos já foram confirmados.

O ministro da Saúde mexicano, Jose Angel Cordova disse que o primeiro caso suspeito ocorreu no Estado de Oaxaca, mas ressaltou que ninguém sabe qual o "ponto ou orgem da disseminação" do vírus.

Quase 2 mil pessoas foram internadas no México desde que o primeiro caso de febre suína foi identificado, no dia 13 de abril, mas metade delas já voltou para casa.

O ministro ainda observou que o número de novos casos diminuiu nos últimos três dias, de acordo com os maiores hospitais públicos do México. No sábado foram registrados 141 novos casos, no domingo,119 e na segunda, 110.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG