FAO enviará técnicos ao México para estudar surto de gripe suína

Roma, 27 abr (EFE).- A Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) anunciou hoje que esta semana enviará ao México um grupo de especialistas em saúde animal para ajudar o Governo mexicano a avaliar a situação epidemiológica no setor de produção suína.

EFE |

O comunicado oficial informou que a organização enviará especialistas do Centro de Gestão de Crise-Saúde Animal, cujo objetivo é verificar se a nova variante do vírus H1N1, causador da doença, tem relação direta com os porcos.

A FAO pediu ainda que os técnicos do organismo no mundo todo relatem imediatamente sobre qualquer caso similar à gripe, e que enviem as amostras aos laboratórios de referência da organização.

O veterinário-chefe da FAO, Joseph Domenech, assegurou que não há evidência de ameaça para a cadeia alimentar, pois no atual estado se trata de uma emergência em nível humano, e não de animais.

No entanto, acrescentou que é preciso "estar alerta".

"A primeira medida que a FAO e os demais (órgãos) devem tomar é verificar se a nova variante circula entre os porcos, estabelecer se há uma ligação direta entre a doença na população humana e nos animais, e explicar como o novo vírus pôde obter material genético de variantes de gripe humana, aviária e suína", afirmou.

A FAO pede ainda à comunidade internacional que aumente a vigilância sobre a gripe suína. EFE fab/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG