FAO diz que consumo de porco não traz riscos

Roma, 2 mai (EFE).- O chefe do serviço de veterinários da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO), Joseph Domenech, disse hoje que o consumo de carne suína não traz nenhum risco de contrair a gripe causada pelo vírus A (H1N1), segundo os dados recentes e os atuais conhecimentos científicos, informa a imprensa italiana.

EFE |

De acordo com o chefe veterinário da FAO não existe nenhuma evidência de que "o vírus esteja circulando entre a espécie suína nem no México nem em qualquer outra parte do mundo".

Portanto, não é justificado o aumento do controle dos movimentos dos porcos, nem o sacrifício, acrescentou.

No entanto, será necessária "a vigilância da doença em porcos para detectar, identificar e realizar um acompanhamento de cada novo caso que possa ser ligado à transmissão deste novo vírus da gripe entre os seres humanos".

A FAO anunciou, em 27 de abril, o envio ao México de um grupo de especialistas em saúde animal para ajudar o Governo mexicano a "avaliar a situação epidemiológica no setor de produção suína".

A organização enviou especialistas do Centro de Gestão de Crise-Saúde Animal, cujo objetivo era verificara se a nova cepa do vírus H1N1 causadora da doença tinha relação direta com os porcos.

EFE cps-fab/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG