Roma, 27 jul (EFE).- A Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) culpa tanto os Governos quanto os cidadãos pelos incêndios que todos os anos atingem uma superfície de cerca de 350 milhões de hectares no mundo.

Segundo um comunicado emitido hoje pela FAO, a luta contra os incêndios é "cada vez uma questão mais complexa" que requer o envolvimento de diferentes setores e grupos de interesse para ser eficaz.

A organização da ONU denuncia na nota que os incêndios florestais contribuem para o "aquecimento global, a poluição do ar, a desertificação e a perda da biodiversidade".

O aumento da densidade da população mundial implica em mais risco de incêndios, segundo a FAO, já que a maior parte dos focos é provocada pelo homem, seja por negligência, por interesses econômicos ou pela gestão imprudente de terras e agricultura.

Em seu comunicado, a FAO afirma que está trabalhando de maneira conjunta com a Agência Espacial Europeia (ESA) e a Nasa (agência espacial americana) na detecção antecipada de incêndios.

A nota cita como áreas de especial risco o Mediterrâneo, África Subsaariana, Austrália, Canadá e EUA. EFE fab/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.