FAO: aumenta o número de desnutritos na América Latina

O número de desnutritos aumentou em seis milhões na América Latina, segundo relatório a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) divulgado nesta quinta-feira em Roma.

AFP |

De acordo com a agência especializada, o número de pessoas que morreram de fome no mundo aumentou de 850 para 925 milhões em 2007 devido à disparada dos preços dos alimentos.

"Esta alta nos preços levou 75 milhões de pessoas a mais a uma situação de fome", calculou a FAO.

Entre as regiões mais afetadas estão Ásia e Pacífico, com 41 milhões, e a zona da África Subsaariana, com 24 milhões. Para a América Latina, calcula-se que cerca de seis milhões de pessoas entraram para a categoria das que sofrem de desnutrição, destacou a FAO.

"Isto é inaceitável", disse Hafez Ghanem, vice-diretor geral da FAO e encarregado do setor desenvolvimento econômico e social da entidade.

"A situação é verdadeiramente grave", advertiu o funcionário que considera quase impossível a meta fixada na Cúpula Mundial sobre a Alimentação de 1996 de reduzir à metade o dado de famintos no mundo.

"Para a América Latina este é um drástico revés, afinal durante mais de uma década foram cumpridas as metas estabelecidas pela Cúpula de 1996", reconheceu a entidade.

Segundo dados da organização das Nações Unidas, o número de pessoas desnutridas continua aumentando.

"Tememos que, com a alta este ano do preço dos cereais básicos e do óleo, o número de pessoas que passam fome aumente ainda mais", escreveu a FAO em seu documento.

kv/lm/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG