A alta mundial dos preços dos cereais cria uma situação de emergência em 37 países pobres e pode provocar distúrbios protagonizados pela população faminta, alertou nesta sexta-feira a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

O órgão tenta enfrentar a crise com a organização de uma conferência de países em junho em Roma, que arrecadaria entre 1,2 e 1,7 milhões de dólares para a causa.

O preço das importações de cereais dos países mais pobres aumentará em 56% em 2008 após ter crescido 37% em 1007, indicou Jacques Diouf, diretor-geral da organização.

"A alta dos produtos alimentícios possui um impacto devastar na segurança de muitos povos nos direitos humanos", acrescentou.

Diouf enumerou os países onde a alta de preço do pão já provocou distúrbios: Haiti, Mauritânia, Camarões, Burkina Faso, Etiópia, Indonésia, Egito, Marrocos, Costa do Marfim, Senegal, Madagascar e Filipinas. O exército vigia, além disso, os cultivos e depósitos de alimentos no Paquistão e na Tailândia.

O diretor da FAO lançou um chamado aos chefes de Estado e de governo dos 191 membros para que participem de uma conferência sobre a segurança alimentícia mundial de 3 a 5 de junho em Roma.

Leia também:

Leia mais sobre alimentos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.