Famoso templo budista de Tóquio quer impedir construção de arranha-céu

Tóquio, 24 set (EFE).- O templo budista de Sensoji, o mais antigo de Tóquio, interpôs hoje um requerimento judicial para impedir a construção de um arranha-céu no bairro de Asakusa, um dos mais tradicionais e turísticos da capital japonesa.

EFE |

O templo, cuja origem se remota ao século VII, apresentou junto a um grupo de moradores de Asakusa um processo contra o projeto que prevê levantar um edifício de 133 metros de altura e 37 andares próximo de sua localização, informou a agência local "Kyodo".

"Se abusa dos sistemas de ordem urbana para permitir a construção de edifícios em grande escala, haverá uma mudança rápida no aspecto da cidade e se danificaria a dignidade do templo", disse a instituição Sensoji em comunicado.

Este templo budista é o centro nervoso de Asakusa e um dos principais motivos de visita para muitos turistas e devotos de distintas zonas do Japão.

Embora sua aparência atual é resultado da reconstrução realizada após a Segunda Guerra Mundial graças às doações do povo, o edifício original data do ano 628, quando foi achada uma estátua de ouro de Kannon, a deusa budista da misericórdia.

Após o achado por parte de dois irmãos pescadores dessa pequena estátua foi construído o templo ao que, ainda, após tantos séculos, os fiéis vão para orar pela conservação de sua saúde ou para curar suas doenças.

Os litigantes asseguraram que não se opõem à construção de casas, mas que querem invalidar a permissão que o Governo Metropolitano de Tóquio concedeu para levantar um arranha-céu, a cargo do grupo Fujita e previsto para 2012. EFE clb/fk

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG