Famintos, pandas enfrentam inverno mais rigoroso na China

PEQUIM (Reuters) - Pandas gigantes mais doentes e famintos do que em invernos passados podem procurar comida em altitudes mais baixas nas áreas chinesas afetadas por terremotos, destruindo aparelhos do centro de pesquisa local, informou neste sábado a agência de notícias Xinhua. O terremoto de 12 de maio em Sichuan causou deslizamento de terra e destruiu parte do habitat natural dos pandas, reduzindo sua principal fonte de alimento, o bambu, de uma área de 3.200 metros para 2.500 metros onde eles normalmente vivem.

Reuters |

"Eles desceram as montanhas tão cedo este ano e é por isso que prevemos uma situação pior para os pandas selvagens neste inverno", disse Zhang Guiguan, diretor-assistente da Administração da Reserva Natural Wolong.

Em períodos normais de inverno, de dezembro a março, de quatro a cinco pandas selvagens são encontrados em áreas mais baixas, procurando por comida ou dando sinais de que estão doentes, mas Zhang afirmou que dois já foram localizados pelos moradores locais em outubro.

"Alguns deles podem carregar bactérias desconhecidas ou doenças contagiosas, o que colocará em perigo os pandas de cativeiro", declarou Tang Chunxiang, veterinário-chefe do Centro de Conservação e Pesquisa do Panda Gigante da China, para onde um dos pandas foi levado.

O centro já conta com 53 pandas que viviam na Reserva Natural de Wolong. Um panda da reserva, a maior para pandas da China, morreu e outro desapareceu após um grande terremoto.

Ainda há sete pandas em Wolong, disse Zhang, acrescentando, "temos de nos preparar para receber mais pandas selvagens doentes".

(Reportagem de Ken Wills)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG