Famílias esperam volta de tripulação e libertação de capitão na Somália

Washington, 9 abr (EFE).- As famílias da tripulação do navio sequestrado por piratas somalis na quarta-feira aguardavam hoje sua volta, enquanto o Governo dos Estados Unidos negocia a libertação do capitão da embarcação, Richard Phillips, que permanece retido.

EFE |

Estava previsto que a esposa de Phillips, Andrea, falasse à imprensa, mas um vizinho de sua casa, Michael Willard, comunicou que, "embora ela esteja lidando bem com a situação, está muito preocupada com seu marido e não pode falar".

Familiares do capitão confirmaram à imprensa que estão em contato permanente com membros do Departamento de Estado dos EUA encarregados da operação de resgate, mas que a preocupação não passa.

Em declarações ao jornal "Boston Globe", o cunhado de Phillips, Tom Coggio, disse que o capitão e seus sequestradores receberam água e comida, mas que ainda não tiveram nenhum contato telefônico com ele, embora a companhia proprietária da embarcação, a dinamarquesa Maersk, tenha garantido que ele está bem.

A empresa informou em comunicado que está trabalhando com a Marinha americana, com o FBI (Polícia federal americana) e com outros órgãos para que Phillips seja libertado, e confirmou que, de acordo com o último contato que fez via rádio, "o capitão está ileso".

O resto da tripulação está a salvo a bordo do navio atacado, o "Maersk Alabama", e se dirige ao porto seguro mais próximo, de onde serão repatriados aos EUA.

Estão na região do crime um navio de guerra americano, o "USS Bainbridge", e uma equipe de negociadores do FBI.

Joseph Murphy, pai de um dos tripulantes, Shane Murphy, disse que o grupo navega rumo ao porto de Mombaça (Quênia) acompanhado por 18 membros armados da Marinha americana.

Murphy espera que seu filho esteja de volta aos EUA na terça-feira ou na quarta-feira da semana que vem. EFE elv/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG