Brasília, 4 fev (EFE).- Parentes de seis jovens desaparecidos em estranhas circunstâncias em Luziânia (GO), a 66 quilômetros de Brasília, pediram hoje na capital mais rapidez nas investigações do caso, que supostamente teria ligação com redes de tráfico de pessoas.

Os seis jovens, de idades entre 13 e 16 anos, desapareceram em diferentes datas durante o mês de janeiro em Luziânia, cidade de quase 200 mil habitantes. Todos viviam no mesmo bairro e nem a Polícia, nem as famílias, acreditam na hipótese de que tenham desaparecido por vontade própria.

Amigos e parentes dos jovens suspeitam de que podem ter sido vítimas de redes de tráfico de pessoas com fins de prostituição ou de tráfico de órgãos.

Familiares dos seis jovens se manifestaram hoje em Brasília e se queixaram de que as autoridades policiais da cidade não puseram muito empenho no caso, pedindo que a investigação seja assumida pela Polícia Federal.

O presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer (PMDB-SP), recebeu os parentes e garantiu que "o Congresso se comprometerá com este caso e fará tudo o que seja possível".

Segundo dados do Ministério da Justiça, desde 2002 houve 1.247 denúncias de desaparecimento de crianças e adolescentes, dos quais 725 foram localizados. Em sua maioria, os menores disseram que tinham fugido de seus lares por "conflitos familiares".

No entanto, o próprio Ministério admite que os números podem ser maiores, porque muitos dos casos não chegam a ser denunciados às autoridades. EFE ed/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.