O desaparecimento de mais de 100 pessoas foi denunciado por suas famílias, após a ofensiva israelense na Faixa de Gaza, anunciou o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICR), em nota divulgada nesta terça-feira.

De acordo com a organização, com sede em Genebra, os desaparecimentos foram relatados ao pessoal do CICR pelas famílias "para tentar saber o destino de seus entes queridos e tentar encontrá-los".

Além disso, "o Crescente Vermelho palestino e o CICR contabilizaram 884 casas totalmente destruídas e outras 650 parcialmente destruídas em diferentes zonas da Faixa de Gaza, entre elas Tel Al-Hawa, Al-Atatra, Zaytun, Rafah e Khan Yunis".

Segundo as primeiras avaliações do CICR, os três hospitais mais prejudicados são o de reeducação e cuidados Al-Wafa, o pediátrico Al-Dorra e o de Al-Quds, administrado pelo Crescente Vermelho palestino. Esses centros médicos foram atingidos diretamente pelas bombas israelenses durante a ofensiva.

Outros estabelecimentos, como os hospitais Nasr, Al-Awda e Tel Al-Islam, também sofreram danos, devido aos bombardeios aéreos israelenses de alvos próximos a esses prédios, acrescentou o CICR.

dro/tt

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.