Familiares de reféns deixam sala durante discurso de Uribe

Medellín (Colômbia), 29 mai (EFE).- Um grupo de familiares de reféns das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) abandonou hoje a grande sala do Teatro Metropolitano de Medellín quando o presidente do país, Álvaro Uribe, mencionou a troca de sequestrados por guerrilheiros presos, algo que nunca aceitou.

EFE |

De forma ambígua, Uribe rejeitou a troca, a principal reivindicação das Farc, durante a abertura do 5º Congresso Internacional de Vítimas do Terrorismo, que começou hoje com a presença de vítimas de vários países e das famílias dos sequestrados colombianos.

As Farc têm em seu poder 22 policiais e militares colombianos que consideram "passíveis de troca" e que pretendem trocar por 500 guerrilheiros presos, alguns deles inclusive extraditados aos Estados Unidos.

"Isso nos obrigou a tomar precauções que geraram muita controvérsia no processo de libertação", disse Uribe em alusão à solicitação das Farc, o que motivou a saída dos familiares de reféns da sala - muitos deles são a favor da troca.

O presidente colombiano assegurou que pelo menos 50% das famílias do país foram vítimas diretas do terror e ressaltou que uma das prioridades de seu Governo é aumentar os recursos destinados à reparação dessas pessoas.

Entre os presentes a este congresso de Medellín estão também ex-reféns que reivindicam o acordo humanitário como única saída para conseguir a paz com as Farc, como o ex-governador do departamento (estado) de Meta Alan Jara, libertado em fevereiro. EFE erm-ct/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG