A mãe e a irmã de Ingrid Betancourt pediram nesta segunda-feira ao novo líder da guerrilha colombiana das Farc, Alfonso Cano, a libertação da refém franco-colombiana e dos demais civis em poder do grupo armado.

"Diante dos últimos acontecimentos fazemos um pedido ao comandante Alfondo Cano -homem culto e progressista -que ao assumir a direção das Farc tem o poder de entrar para a história libertando Ingrid e os três outros reféns civis", expressaram no pedido Yolanda Pulecio e Astrid Betancourt, mãe e irmã respectivamente da ex-candidata presidencial colombiana.

"Essas libertações provocarão a ação decisiva da França e da comunidade internacional para culminar no acordo humanitário e pôr a Colômbia no caminho da paz", asseguraram no texto, divulgado em Paris pela Federação Internacional de Comitês Ingrid Betancourt (FICIB).

Cano substituiu o líder histórico das Farc, Manuel Marulanda, cuja morte foi confirmada no domingo pelo grupo guerrilheiro.

O comitê de Paris de solidariedade a Ingrid Betancourt (CSIB) considerou que a morte de Marulanda é um "verdadeiro terremoto para as Farc" e considerou que a "evolução da situação de Ingrid e dos reféns está inevitavelmente ligada à evolução do movimento das Farc".

Mas o CSIB pede "prudência".

"No momento, nenhum anúncio das Farc nos leva a pensar em uma mudança de cenário. Pedimos, portanto, prudência e esperamos ansiosamente para ler a análise das próximas declarações das Farc", manifestou o CSIB em um texto também divulgado em Paris.

Leia mais sobre: Farc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.