Família mexicana é morta em suposto ataque de vingança

QUINTIN ARAUZ, México (Reuters) - Pistoleiros relacionados ao narcotráfico mataram a mãe, o irmão e a irmã de um fuzileiro naval mexicano que morreu depois de participar de uma operação que matou um chefão das drogas, disse a polícia nesta terça-feira. No que parece ser um ataque de vingança pela operação da Marinha na semana passada, pistoleiros invadiram a casa da família, na cidade de Quintin Arauz, no Estado de Tabasco, pouco antes de meia-noite de segunda-feira, disparando tiros.

Reuters |

"Eles partiram a porta com um machado e metralharam a sala e os quartos", disse Saturnino Dominguez, o vice-comandante da polícia local.

Um quarto membro da família também morreu, enquanto outro ficou ferido.

Apesar de enviar 49 mil soldados por todo o México, as mortes relacionadas ao narcotráfico aumentaram em 2009 para um recorde de 7.000, e tortura, decapitações e outras atrocidades viraram coisa comum.

O presidente Felipe Calderón condenou o ataque à família em Quintin Arauz, dizendo: "Não devemos temer esses criminosos inescrupulosos que cometem barbaridades como esta".

O tiroteio aconteceu horas depois do funeral do fuzileiro naval das forças especiais Melquisedec Angulo, que morreu de ferimentos causados durante o ataque que matou Arturo Beltran Leyva, chefe do cartel que levava seu nome, e cinco de seus guarda-costas na semana passada.

Angulo, que foi atingido por uma granada durante a operação, foi visto como um herói, o que fez de sua família um alvo fácil.

Soldados mexicanos geralmente trabalham mascarados em operações contra cartéis de drogas para manter suas identidades secretas.

(Reportagem de Luis Manuel Lopez)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG