Família de Jean Charles elogia saída de chefe da Scotland Yard

LONDRES - A família do brasileiro Jean Charles de Menezes, morto por agentes da Scotland Yard ao ser confundido com um terrorista suicida, afirmou hoje que o comissário-chefe do organismo, Ian Blair, deveria ter pedido demissão há três anos, quando ele e seus homens mataram o homem errado.

EFE |

Criticado pela condução do caso do brasileiro, Ian Blair anunciou hoje sua demissão após meses sob pressão por seu questionado trabalho e após admitir que não contava com o apoio do prefeito de Londres, Boris Johnson.

Em declarações diante do estádio onde acontece a investigação pública pela morte do brasileiro, o porta-voz da família Erionaldo da Silva assegurou que a saída de Ian Blair "não muda nada" para eles.

Agora, a família não deseja que nada diminua a atenção da investigação pública.

Segundo o porta-voz, "este é o momento" que a família esteve esperando para tentar encontrar a verdade.

O prefeito de Londres justificou hoje a repentina saída da Scotland Yard de Ian Blair pela necessidade de "uma nova liderança" na força policial da cidade.

"Em toda organização chega o momento em que fica claro que seria benéfica uma nova liderança e nova clareza de propósito", declarou em breve comunicado.

"Acho que chegou esse momento", ressaltou o prefeito londrino.

    Leia tudo sobre: jean charles

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG