Família de Jaycee fala pela primeira vez sobre reencontro

A família da americana Jaycee Lee Dugard, sequestrada na infância e mantida em cativeiro por 18 anos na Califórnia, se pronunciou publicamente pela primeira vez desde sua libertação.

BBC Brasil |

A tia de Jaycee , Tina Dugard, disse ao jornal Orange County Register que o reencontro com a moça, hoje com 29 anos, provocou "muitos sorrisos, lágrimas e abraços" entre os familiares.

Ainda segundo Tina, as duas filhas que Jaycee teria tido com seu sequestrador, com 15 e 11 anos, "entenderam o que está acontecendo", mas estão impedidas de acompanhar o caso na mídia.

O suposto pai das meninas, Phillip Garrido, e sua esposa, Nancy, foram presos na semana passada e acusados de terem sequestrado Jaycee Lee em 1991.


Phillip Garrido e sua mulher, Nancy, foram presos
suspeitos de raptar Jaycee Lee Dugard / AFP

'Bonita'

O reencontro de Jaycee com sua mãe, Terry Probyn, ocorreu em um local não divulgado no norte da Califórnia, na presença de policiais e psicólogos.

Tina Dugard, que passou cinco dias com a família, disse ao jornal californiano que percebeu "um clima de conforto, otimismo e alegria".

"As pessoas talvez pensem que o reencontro foi uma coisa horrível e assustadora para todos nós... Mas essa coisa horrível e assustadora aconteceu 18 anos atrás e continuou acontecendo durante estes 18 anos. A escuridão e o desespero acabaram", afirmou a tia de Jaycee.

Segundo Tina, ela e a sobrinha se reconheceram imediatamente. "Ela está muito bonita", disse.

Ela afirmou ainda que as duas filhas de Jaycee pareceram muito "educadas e inteligentes".

Após a entrevista exclusiva ao jornal, Tina também conversou com jornalistas no escritório do FBI em Los Angeles, quando deu mais detalhes sobre o reencontro.

"O sorriso no rosto da minha irmã (a mãe de Jaycee) era tão vasto quanto o mar", descreveu.

"Minha família está vivendo um momento de muita alegria. Rimos e choramos juntas, mas também passamos momentos quietos, apenas aproveitando a companhia umas das outras."

"Jaycee se lembra de todos nós, e está adorando conhecer melhor a irmã dela, que era apenas um bebê quando ela foi sequestrada", disse Tina.


Imagem de arquivo de Jaycee Lee Dugard antes do rapto em 1991

Outro crime

Um porta-voz da família disse que não serão dados detalhes de como ocorrerá o processo de reabilitação psicológica de Jaycee e suas filhas.

Jaycee tinha 11 anos quando foi sequestrada em frente à sua casa, em South Lake Tahoe.

Ela teria sido mantida por 18 anos em uma área secreta composta por barracas e cabanas de madeira atrás da casa de Garrido em Antioch, na zona leste de San Francisco.

Garrido cumpria pena de liberdade condicional pelo estupro de uma jovem de 14 anos, ocorrido em 1972, e o sequestro foi descoberto depois de ele ter sido intimado a depor por seus supervisores.

A intimação ocorreu depois que duas policiais suspeitaram de seu comportamento quando ele tentou entrar no campus da Universidade da Califórnia em Berkeley para distribuir panfletos religiosos, em companhia das duas filhas.

Na quinta-feira, a polícia de Antioch deu mais detalhes do crime ocorrido em 1972, quando a jovem de 14 anos foi drogada e estuprada em um hotel.

Segundo o delegado, há uma "boa chance" de que comecem a aparecer notícias de outros crimes cometidos por Garrido.

Leia mais sobre Jaycee Lee Dugard

    Leia tudo sobre: abuso sexualseqüestro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG