Família de Eluana não cremará a italiana

Roma, 11 fev (EFE).- Eluana Englaro, a italiana que morreu após permanecer 17 anos em estado vegetativo, não será cremada, ao contrário da primeira intenção da família, informou hoje à imprensa italiana o tio da mulher, Armando Englaro.

EFE |

Quando receber a permissão judicial, o corpo de Eluana será enterrado no cemitério de San Daniele, na localidade de Paluzza (Itália).

O procurador-geral de Udine, Antonio Biancardi, deveria assinar a permissão para o enterro de Eluana hoje à tarde, quando receber os resultados da autópsia feita ontem.

Os resultados preliminares indicam que a italiana morreu por uma parada cardíaca após uma crise provocada pela desidratação, mas os resultados definitivos, incluindo os do exame toxicológico, ficarão prontos em alguns dias.

Eluana morreu na segunda-feira depois que, três dias antes, teve a alimentação e hidratação artificiais por desejo da família.

Segundo fontes médicas, os primeiros resultados indicam que a morte de Eluana pode ser compatível com o previsto no protocolo médico, elaborado de acordo com o tribunal de Milão, que permitiu a interrupção da alimentação.

Durante a autópsia, os médicos retiraram amostras de tecido e de órgãos, incluindo do cérebro, para análise no laboratório. EFE fab/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG