Família de cinegrafista francês desaparecido no Iraque recorre à justiça

Depois de mais de cinco anos de luta para encontrar o jornalista francês Fred Nérac, desaparecido no Iraque, a família recorreu à justiça na esperança de agilizar um caso do qual, segundo ela, as autoridades jamais se encarregarão verdadeiramente.

AFP |

Fred Nérac, de 43 anos, trabalhava como cinegrafista para o canal de televisão britânico ITN quando desapareceu em 22 de março de 2003 perto da cidade de Basra (sul do Iraque), dois dias depois do início da ofensiva da coalizão no Iraque.

A família do jornalista anunciou nesta sexta-feira a apresentação de uma demanda na França por "seqüestro e assassinato".

Sua esposa Fabienne Nérac e seus dois filhos, que vivem na Bélgica, entraram com pedido hoje contra pessoa desconhecida, declarou o advogado Olivier Morice em entrevista à imprensa na presença da família.

Segundo o ministério francês das Relações Exteriores, Fred Nérac morreu durante um enfrentamento entre combatentes americanos e iraquianos.

O intérprete libanês Hussein Osman, que conduzia o veículo no qual estava o jornalista francês, e o repórter britânico Terry Lloyd, a bordo de outro veículo, morreram enquanto outro cinegrafista belga, Daniel Demoustier, foi ferido.

Mas a versão oficial francesa não convence a família de Nerac. Acredita que ele tenha sido seqüestrado.

mra/mar/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG