Família de alemão que matou 15 expressa pêsames a parentes das vítimas

Berlim, 17 mar (EFE).- A família do alemão de 17 anos que, na semana passada, cometeu um massacre em uma escola, com um balanço de 16 mortos, incluindo o próprio atirador, rompeu hoje o silêncio para expressar as condolências aos parentes das vítimas.

EFE |

"De vocês foi arrebatado o mais prezado e importante, um ente querido, com o ato abominável e incompreensível de nosso filho e irmão. Nunca achamos que Tim era capaz de algo assim, o conhecíamos de outra maneira", diz a carta, divulgada pelo advogado da família.

Até agora, a única reação dos parentes de Tim Kretschmer tinha sido, também através do advogado, desmentir que esse tivesse estado em tratamento psiquiátrico, contrariamente ao que tinham assegurado os investigadores e os responsáveis de uma clínica da região.

O advogado levantou depois a possibilidade de recorrer a tribunais por outras notícias, falsas ou inexatas, segundo sua versão, divulgadas estes dias pela imprensa.

O adolescente cometeu o massacre, no qual assassinou nove alunos e três professoras da antiga escola e depois outras três pessoas até se suicidar, com uma Beretta que pertencia a seu pai.

A Promotoria abriu sumário por homicídio culposo contra o pai, por não achar convenientemente guardada a arma ou a munição usadas, que estavam em uma caixa-forte.

Hoje, o órgão apreendeu o computador da mãe, para tentar esclarecer a veracidade da mensagem na internet onde supostamente anunciava o múltiplo homicídio.

Após ser descartado que o rapaz tivesse enviado o vídeo a partir de seu computador, buscam-se pistas tanto em outros aparelhos que foram achados na casa ou em um cyber café ou local com internet.

Os investigadores esperam ainda informação do servidor através do qual foi divulgada a mensagem nos Estados Unidos para estabelecer se esta foi enviada antes do massacre ou se foi postada depois. EFE gc/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG