Família brasileira decide manter disputa por S.G.

Ao contrário do que afirmou na antevéspera do Natal, de que a família brasileira do menino S.G., de 9 anos, pararia de brigar por sua permanência no Brasil, o advogado Sérgio Tostes divulgou nota à imprensa no fim da tarde desta segunda-feira dizendo que a entrega de S. ao pai americano David Goldman não encerra o processo judicial.

Agência Estado |

Tostes informou que entrará no Superior Tribunal de Justiça (STJ) recorrendo da decisão do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (RJ e ES) que determinou a entrega de S. ao pai. "Caso os tribunais superiores venham a modificar a decisão do TRF-2, a família confia em que serão tomadas pelas autoridades brasileiras todas as medidas para que haja o retorno imediato de S. ao Brasil", diz a nota.

O advogado aguarda ainda o exame do Supremo Tribunal Federal (STF) do mérito do pedido impetrado em nome da avó do menino, Silvana Bianchi, para que ele seja ouvido em juízo. "Caso a decisão seja proferida conforme o pedido da avó, uma Carta Rogatória será enviada aos Estados Unidos, local onde S. se encontra presentemente, para que ele seja ouvido em Juízo."

Na terça-feira passada o presidente do STF, ministro Gilmar Mendes, concedeu liminar cassando a concedida pelo ministro Marco Aurélio Mello que suspendia a determinação do TRF. Com isso, o menino foi entregue ao pai.

Em entrevista à imprensa logo após a entrega do menino ao pai, Tostes havia afirmado que "a família decidiu que a agonia acabaria" e que estava "deixando claro que as armas seriam guardadas" .

Leia também:


Leia mais sobre S.G.

    Leia tudo sobre: brasileua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG