Publicidade
Publicidade - Super banner
Mundo
enhanced by Google
 

Falta dinheiro para ajudar Haiti, diz diretora alimentar da ONU

Por Joseph Guyler Delva PORTO PRÍNCIPE, Haiti (Reuters) - O Programa Mundial de Alimentos (WFP) possui recursos financeiros para ajudar as vítimas de enchentes no Haiti só até novembro e precisa de mais dinheiro para suas operações no país caribenho, atingido por quatro tempestades recentemente, afirmou a diretora da agência alimentar da Organização das Nações Unidas (ONU).

Reuters |

Apesar de o WFP possuir o conhecimento necessário pra enfrentar os desastres ocorridos no Haiti, a falta de verbas impedirá que a agência complete sua missão, afirmou Josette Sheeran.

"O WFP sabe como fazer isso. Nós respondemos a tsunamis, enchentes, terremotos em todo o mundo. E é por isso que o mundo criou esta agência," afirmou Sheeran, em uma entrevista no fim de semana.

"Nossa missão é entrar em um lugar e ajudar com a equipe de emergência. No entanto, neste momento, não temos o dinheiro necessário para cumprir nossa missão."

Os EUA, o Japão, a Comunidade Européia, a Suíça e o Canadá doaram 11 milhões dos 54 milhões de dólares necessários, afirmou o WFP.

O Haiti foi atingido por quatro tempestades -- Fay, Gustav, Hanna e Ike -- em um período de cerca de um mês. As tempestades mataram ao menos 800 pessoas, entre as quais 520 na cidade de Gonaives, a mais atingida.

Mais de outras 800 pessoas estão desaparecidas e várias centenas de milhares de haitianos perderam suas casas e carecem de ajuda imediata.

As tempestades fizeram com que o desenvolvimento econômico do Haiti retrocedesse vários anos, afirmou o presidente do país na semana passada.

O Haiti pode ter perdido de 3 a 4 pontos percentuais de seu Produto Interno Bruto (PIB) em virtude das tempestades, que atingiram o empobrecido país desprovido de qualquer cobertura vegetal. As florestas foram derrubadas para fornecer madeira e carvão.

O WFP já distribuiu alimentos para cerca de 500 mil pessoas, entre as quais quase 300 mil em Gonaives. A agência pretende dar ajuda a cerca de 800 mil pessoas em todo o país, nos próximos seis meses.

Quase um mês depois dos desastres, cerca de 3 milhões de metros cúbicos de lama ainda precisam ser removidos de Gonaives. Especialistas calculam que serão necessários cerca de 30 milhões de dólares para limpar a cidade.

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG