A falta de vitamina D poderia aumentar o risco de depressão ou outros problemas psiquiátricos nos anciãos, assinalaram cientistas holandeses em estudo publicado nesta segunda-feira nos Estados Unidos.

"As causas subjacentes da falta de vitamina D, como menor exposição ao sol ao reduzir as atividades ao ar livre, as mudanças de casa ou de hábitos como o de se vestir, o menor consumo de vitaminas podem originar depressões, mas a depressão pode ser também conseqüência de um baixo índice de vitamina D", destaca o estudo publicado nos Archives of General Psychiatry.

Os pesquisadores da Universidade Vrije, de Amsterdã estudaram 1.282 pessoas com entre 65 a 95 anos, das quais 169 sofriam uma leve depressão.

A taxa de vitamina D nas pessoas deprimidas era 14% menor que a observada nos demais anciãos, segundo o trabalho.

Também foi registrado que a falta de vitamina D aumenta o nível do hormônio da paratiróide; sabe-se que a hiperatividade das glândulas paratireóides é habitualmente associada à depressão.

Esta descoberta poderia ser importante para o tratamento da depressão, pois o baixo nível de vitamina D no sangue e o alto nível de hormônio da paratireóide podem ser regulados com um regime de suplementos de cálcio ou uma maior exposição ao sol.

jkb/cha/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.