Falta de combustível fecha única usina de de energia em Gaza

É a terceira vez que usina para de funcionar neste ano por escassez de combustível; fato acontece em meio a onda de calor

EFE |

Gaza, 7 ago (EFE).- A única usina de geração de energia elétrica de Gaza, que cobre um terço do consumo da Faixa de Gaza, deixou de funcionar hoje, em meio a uma onda de calor, por falta de combustível industrial, informaram fontes da própria usina.

O fechamento da passagem fronteiriça com Israel por ocasião do dia sabático judeu agravou a carência de combustível, que tem sua origem em uma disputa administrativa entre os dois Governos palestinos paralelos: o do Hamas, na Faixa de Gaza, e o da Autoridade Nacional Palestina (ANP), do Fatah, na Cisjordânia.

Um dos lados acusa o outro de ser responsável pela situação em Gaza, que há meses só tem entre seis e 12 horas de energia por dia.

A ANP diz que o Hamas não paga a eletricidade e deixa um buraco orçamentário que depois é fechado na Cisjordânia.

O Hamas defende, pelo contrário, que enviou as faturas ao Governo de Ramala, o qual acusa de ter descumprido um compromisso de assumir o pagamento do combustível para a usina, que a União Europeia (UE) deixou de subvencionar no ano passado.

A usina já fechou momentaneamente em várias ocasiões, três somente neste ano, por escassez de combustível.

Desta vez, a atual onda de calor na Faixa de Gaza aumentou o uso de aparelhos de ar condicionado e ventiladores, minguando as já poucas reservas de energia.

A usina gera 33% da eletricidade consumida em Gaza, enquanto Israel vende 58% e o Egito, 9%. EFE sar/bba

    Leia tudo sobre: usinageração de energiagaza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG