Falta de chuva preocupa cafeicultores da Colômbia

Por Diana Delgado BOGOTÁ (Reuters) - A Colômbia, terceiro maior exportador mundial de café, poderá enfrentar dificuldades para cumprir sua meta de produção de 11 a 12 milhões de sacas de 60 quilos neste ano, devido à seca prevista para o primeiro trimestre de 2010, dizem alguns produtores.

Reuters |

A anomalia climática El Niño provocou altas temperaturas no país nos primeiros dias de janeiro, e o impacto das secas relacionadas será observado nos próximos meses, disse à Reuters Maria Teresa Martinez, diretora do escritório meteorológico do país, o IDEAM.

A temporada de seca da Colômbia normalmente acontece no primeiro trimestre, mas até agora 2010 tem sido mais quente do que o normal.

"Nos primeiros 25 dias de janeiro, a chuva nas províncias produtoras de café de Risaralda, Quindio, Valle, Tolima e Huila foram até 70 por cento menores do que a média para o mês", disse Martinez. "Essa escassez deve continuar até abril."

A Colômbia produziu 7,8 milhões de sacas de 60 quilos em 2009, contra 11,4 milhões em 2008. O país não registrava uma produção tão baixa desde 1976.

As províncias de Risaralda, Quindio, Valle, Tolima e Huila respondem por 46 por cento da produção total de café do país.

O El Niño é caracterizado por um aquecimento da água do oceano Pacífico na costa da América do Sul.

O Ideam prevê que as chuvas nas províncias de Quindio, Risaralda, Caldas, nordeste de Valle del Cauca e Antioquia entre fevereiro e abril cairão entre 40 e 80 por cento ante os níveis médios desses meses.

A Colômbia pode não conseguir produzir 11 milhões de sacas neste ano, segundo Hector Falla, que representa os produtores da província de Huila.

"Se os cafezais não receberem chuvas em três ou quatro semanas, a meta pode estar em risco", disse Falla, destacando que os produtores em Huila estão preocupados já que a última vez em que choveu foi há 15 dias.

A província de Huila, que responde por 11 por cento da produção do país, produziu 1,5 milhão de sacas no ano passado. Huila é capaz de produzir até 2 milhões de sacas neste ano, se as condições climáticas se normalizarem.

Outros produtores minimizaram as previsões pessimistas.

James Maya, que representa produtores de Risaralda, afirmou que a Colômbia poderá atingir a meta de produção, já que ao menos 100 mil hectares de cafezais que estavam sendo renovados vão retomar a produção neste ano, contribuindo com 1,2 milhão de sacas de 60 quilos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG