Copenhague, 15 dez (EFE).- A falta de acordo sobre a ajuda financeira aos países pobres para o combate à mudança climática é um dos principais elementos que minam o processo de negociação e que dificultam um pacto real na Cúpula da ONU sobre Mudança Climática, em Copenhague (Dinamarca).

Segundo fontes da delegação espanhola, ainda não foi fechado nenhum texto e, por isso, está nas mãos dos ministros a resolução de todos os aspectos que precisam ainda serem discutidos, como os compromissos de redução de emissões de gases causadores do efeito estufa e o financiamento a longo prazo.

As mesmas fontes advertiram que é impossível conseguir um acordo caso não se inclua um pacote financeiro potente e reconheceram que até o final não se chegará a um consenso sobre números concretos de redução de emissões.

Quanto ao financiamento, só a União Europeia (UE) transferiu até o momento uma mensagem clara sobre seu compromisso de fornecer recursos adicionais, enquanto a postura dos Estados Unidos segue gerando tensões, como explicaram as mesmas fontes.

A partir de agora começa uma corrida contra o relógio durante a qual se trabalhará intensamente, antes que entrem em cena os líderes, alguns dos quais começam a chegar já amanhã a Copenhague.

A presidente da cúpula, a dinamarquesa Connie Hedegaard, tinha previsto retomar ainda esta noite as consultas informais com várias delegações, em algumas das quais já participam os ministros de Meio Ambiente.

Os organizadores querem que a adoção formal de decisões aconteça durante as negociações de sexta-feira e o cenário que se estuda é que a conferência acabe em horário razoável nesse mesmo dia, de modo que os chefes de Governo e de Estado possam assinar o acordo. EFE td/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.