FAB localiza vestígios que podem ser de Airbus da Air France

A Força Aérea Brasileira (FAB) localizou destroços de uma aeronave no Oceano Atlântico, 650 km ao nordeste da ilha de Fernando de Noronha, que podem ser do Airbus da Air France desaparecido na segunda-feira com 228 pessoas a bordo.

AFP |

"Foram encontrados vestígios e pequenos destroços de aeronave no oceano", afirmou o coronel Jorge Amaral, porta-voz da Aeronáutica.

Entre os materiais encontrados estão uma poltrona, pequenos pedaços brancos, uma boia laranja, um tambor, além de vestígios de óleo e querosene, segundo o coronel.

Ao ser questionado se haviam sido detectados sinais de sobreviventes, Amaral afirmou que não.

Ele explicou que ainda não é possível confirmar que são pedaços do avião da Air France que desapareceu na rota Rio de Janeiro-Paris com 228 pessoas a bordo, até que se obtenha "pelo menos uma peça com um número de série, alguma identificação".

Nas próximas horas, navios devem chegar à região para recolher os pedaços.

A localização dos vestígios, 650 km ao nordeste de Fernando de Noronha, indicaria que "a aeronave tentou voltar pela direita. Pode ser que tenha sofrido um problema e tentado retornar a Fernando de Noronha", explicou o coronel.

No entanto, fez questão de destacar que ainda é cedo para tirar conclusões e que os vestígios do avião precisam ser confirmados.

O último sinal automático enviado pelo Airbus da Air France reportou uma falha no sistema elétrico e de pressurização às 23H14 de domingo. No momento, o avião estava a 820 km de Fernando de Noronha e a 1.100 km da cidade de Natal.

As buscas haviam se concentrado inicialmente nesta área e na rota do avião, em uma zona aérea sob vigilância do Senegal.

Apesar da localização dos vestígios em uma área mais próxima à costa do Brasil, a Aeronáutica informou que não descarta buscas em outras áreas até que uma eventual confirmação dos destroços permita uma operação de resgate.

Os destroços foram detectados na água durante as buscas noturnas, com um sistema de radar aplicado pela aeronave brasileira R99, que identificou na madrugada desta terça-feira informações de anomalias de peças metálicas e não metálicas na água.

O R99 é uma aeronave brasileira que utiliza um radar chamado de abertura sintética (SAR), que capta imagens por meio de um mecanismo de varredura.

Após esta informação, um avião foi enviado à região ao amanhecer e às 6H49 confirmou a localização dos materiais, espalhados em um raio de 60 km.

O Brasil mobilizou 10 aeronaves para as buscas. Um avião americano deve se unir aos trabalhos nesta terça-feira. Do lado do espaço aéreo de Senegal há duas aeronaves francesas e uma espanhola.

As autoridades francesas reconheceram que são pequenas as possibilidades de encontrar sobreviventes do avião, no qual viajavam 228 pessoas de 32 nacionalidades, incluindo 73 franceses, 58 brasileiros e 26 alemães.

ym/fp/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG