Rio de Janeiro, 3 jun (EFE).- A Força Aérea Brasileira (FAB) encontrou hoje novos destroços que podem ser do avião da Air France que desapareceu no Oceano Atlântico na madrugada de segunda-feira com 228 pessoas a bordo, entre os quais há uma peça de sete metros que seria parte da fuselagem, informaram fontes oficiais.

"É uma peça significativa que pode ser uma lateral, parte de uma asa ou qualquer parte da fuselagem" do avião, assegurou o vice-chefe de Comunicação Social da Aeronáutica, coronel Jorge Amaral, em entrevista coletiva.

Os novos objetos foram localizados por radar e avistados por pilotos da FAB a cerca de 90 quilômetros ao sul do local em que foram encontrados ontem os primeiros pedaços que, segundo confirmou o Governo, pertencem à aeronave.

De acordo com Amaral, as peças foram localizadas às 3h40 de Brasília por um avião R-99, que utiliza um radar e um sensor infravermelho para captar objetos no mar, e avistadas posteriormente pelos pilotos da mesma aeronave.

Entre os restos, espalhados por uma área de cinco quilômetros, também figuram dez objetos metálicos de diferentes tamanhos e manchas de óleo e combustível que se estendem por quase 20 quilômetros.

O coronel também informou que, após essa descoberta, mais cinco aeronaves decolaram na manhã de hoje para concentrar a busca nessa região.

São três aviões Hércules C-130 brasileiros, assim como um Falcon 50 da França e uma aeronave de patrulha marítima P-3C Orion dos Estados Unidos, que começaram a colaborar nos trabalhos.

Segundo Amaral, 11 aeronaves participam das buscas. Além disso, cinco navios da Marinha do Brasil se dirigem ao ponto do acidente. A primeira dessas embarcações deve chegar à região ainda hoje.

Também colaboram com os trabalhos três navios mercantes que circulavam pela região e que foram alertados para que ajudem na busca de possíveis sobreviventes.

A FAB também informou que, após a confirmação de que a aeronave caiu em águas territoriais brasileiras, o centro de controle aéreo de Dacar (Senegal) comunicou que havia encerrado seus trabalhos de busca.

O Airbus A330-200 da Air France que fazia o voo AF447 entre Rio de Janeiro e Paris, com 228 pessoas de 32 nacionalidades, desapareceu dos radares logo após transmitir uma mensagem automática informando sobre uma falha técnica.

Os restos foram avistados flutuando em uma faixa de cinco quilômetros de extensão próxima ao arquipélago de São Pedro e São Paulo, distante 704 quilômetros do arquipélago de Fernando de Noronha (PE) e a 1.296 quilômetros de Recife. EFE cm/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.