Ex-vice de Saddam prevê volta do partido Baath ao poder no Iraque

Argel, 2 jun (EFE).- O ex-vice-presidente iraquiano Izzat Ibrahim al-Douri, uma das principais autoridades do regime de Saddam Hussein, previu hoje a volta do partido Baath ao poder no Iraque após a saída das tropas dos Estados Unidos, já que essa legenda continua sendo a maior e a mais influente do país.

EFE |

Em entrevista que o jornal argelino em árabe "Ennahar" afirma ter feito com o vice, Douri - por quem os Estados Unidos oferecem uma recompensa de US$ 25 milhões e que nos últimos anos foi dado como morto em várias ocasiões - assegurou que "jamais me pegarão vivo".

Além disso, ressaltou que os americanos e o Governo do primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki, não têm alternativa além de negociar com o partido Baath, do qual é o líder máximo desde que Saddam Hussein foi executado.

Em 20 de abril, Maliki disse que não permitirá que o Baath volte à vida política do Iraque, e considerou que essa legenda - proibida pouco depois da queda de Saddam - é rejeitada pelo povo iraquiano "da cabeça aos pés".

Douri, no entanto, afirmou ao "Ennahar" que pretende convidar o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, para negociar o futuro do Iraque sob as condições de que as tropas saiam do país, que seja "aprovada uma Constituição que unifique a nação e que sejam organizadas eleições livres e transparentes".

"A exclusão do partido Baath do processo político no Iraque é um suicídio, nosso partido retomará as rédeas do poder a partir do próximo ano, após a saída dos americanos", previu.

Ele rejeitou as notícias que indicavam que teria fugido ao exterior e assegurou que se encontra no Iraque e que as tropas americanas "não abandonarão o país senão vencidas".

Além disso, acusou as milícias xiitas do sul do Iraque de ter exterminado um milhão de sunitas desde o começo da invasão americana. EFE sk/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG