Extrema-direita volta ganhar força no partido israelense Likud

Jerusalém, 9 dez (EFE).- O direitista Likud terá vários rostos novos nas eleições gerais de 10 de fevereiro, entre eles o do ultradireitista Moshe Feiglin, que entrou na posição de número 20 da lista de candidatos a deputado.

EFE |

Concluída esta madrugada a apuração das primárias do partido, realizadas na segunda-feira, a direção do Likud fica nas mãos dos atuais deputados Gideon Sa'ar, grande vencedor, Gilad Ardem e Reuven Rivlin, cujos nomes seguirão ao do dirigente Benjamin Netanyahu na lista de candidatos ao Parlamento (Knesset).

Na posição de número quatro entrou Beni Begin, filho do ex-primeiro-ministro Menachem Begin e que voltou à política após uma ausência de vários anos.

As pesquisas com vistas às eleições gerais de fevereiro de 2009 dão a vitória ao Likud com um número de deputados superior a 30, quase três vezes mais que seus atuais 12, e, portanto, o suficiente para formar o próximo Governo israelense.

Se isso acontecer, também entrará no Parlamento Moshe Feiglin, o líder de uma facção ultradireitista dentro do Likud e que Netanyahu tentou ontem afastar usando "listas de recomendação" aos militantes do partido.

Feiglin obteve a 20ª posição da lista que o Likud apresentará às eleições, e teme-se que ele atue contra qualquer iniciativa diplomática para conseguir um acordo com os palestinos.

Netanyahu teme também que sua presença assuste os eleitores de centro, o que pode acabar custando a vitórias nas eleições. EFE elb/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG