O narcotraficante colombiano Diego Montoya, conhecido como Don Diego, cujo cartel exportava cerca de 70% da cocaína vendida nos Estados Unidos e na Europa, foi extraditado nesta sexta-feira para os EUA, onde será julgado por crimes de tráfico de drogas, disse uma fonte policial à AFP.

"Já foi. 'Don Diego' está a caminho dos Estados Unidos", disse o porta-voz da polícia, apontando para o avião no qual o chefe do narcotráfico decolou, depois das 10h50 (13h50 de Brasília), rumo aos EUA.

"A Colômbia encerra um capítulo na luta contra o narcotráfico. Essa extradição é, talvez, a mais importante dos últimos anos", disse aos jornalistas o diretor da polícia, general Oscar Naranjo.

Segundo o governo, o cartel que "Don Diego" liderava era responsável, pelo menos até sua captura em 2007, por cerca de 70% do tráfico de cocaína para Estados Unidos e Europa. Ele também seria o mandante de mais de 1.500 assassinatos.

"Don Diego", de 50 anos, apontado como o traficante mais poderoso da Colômbia, era chefe do cartel do Norte del (departamento) Valle, organização que surgiu na década de 1990, após o desmantelamento dos cartéis de Cali e de Medellín.

Montoya estava na lista dos 10 mais procurados pelo FBI, a Polícia Federal americana, até ser capturado em 10 de setembro de 2007. Ele também é requerido pelos tribunais da Flórida e de Washington por conspiração para importar e distribuir cocaína e por lavagem de dinheiro. Contra ele pesa ainda a acusação de ter torturado e matado uma testemunha do FBI.

cop/mck/tt

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.