Washington, 4 set (EFE).- Um tribuna federal dos Estados Unidos condenou hoje um ex-soldado americano à sentença de cinco prisões perpétuas consecutivas, por violar e matar a tiros uma menina iraquiana de 14 anos e por executar seus pais e sua irmã, enquanto servia no Iraque em 2006.

Steven Dale Green, julgado em um tribunal civil de Kentucky, enfrentava uma possível condenação à pena de morte, mas a incapacidade do júri de alcançar uma decisão unânime a respeito transformou a sentença em prisão perpétua, informou o jornal local de Louisville "Courier-Journal".

O ex-soldado, suspenso do Exército devido a uma desordem de personalidade, foi declarado culpado em maio pelas 17 acusações que caíam sobre ele, que incluem violação, assassinato e obstrução à Justiça.

Green, que não terá a opção de recorrer a nenhum mecanismo para diminuir sua pena, reconheceu sua culpa em um breve discurso durante a audiência.

"Não vou agir como se o que aconteceu fosse normal. Foi algo demente. Mas não sabem o que aconteceu, não entendem nada", disse o acusado, de 24 anos e natural do Texas.

O ex-soldado também denunciou a possibilidade de que sua suspensão do Exército tenha lhe prejudicado no processo, já que, segundo ele, os outros três soldados condenados no caso tiveram sentenças menores, por terem sido julgados em cortes militares. EFE llb/pd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.