Ex-senador democrata John Edwards reconhece romance extraconjugal

Washington, 8 ago (EFE).- O ex-senador e ex-pré-candidato presidencial democrata John Edwards reconheceu hoje que teve um romance extraconjugal com uma cineasta de 42 anos, e que mentiu durante a campanha ao ser questionado sobre o tema.

EFE |

O político participou este ano das eleições primárias pela candidatura presidencial democrata, mas se retirou no final de janeiro, após perder várias disputas.

Em uma entrevista à rede de televisão "ABC", Edwards confessou o romance, mas negou ser o pai do filho de Rielle Hunter, a mulher com a qual teve a aventura.

O ex-senador comentou, no entanto, que não fez nenhum tipo de teste de paternidade.

Segundo Edwards, ele tem certeza de que não é o pai da criança levando em conta sua data de nascimento, 27 de fevereiro de 2008.

Segundo amigos de Hunter, Edwards conheceu a mulher em um bar em Nova York, em 2006.

A campanha do ex-senador lhe pagou posteriormente US$ 114 mil para que produzisse documentários, apesar de sua falta de experiência nesse âmbito.

A relação começou durante a campanha, após a contratação de Hunter, que viajou com ele por diversas partes do país e também à África, revelou Edwards.

O político afirma que sua mulher, Elizabeth, que sofre de câncer de mama, e outros membros de sua família tiveram conhecimento da aventura em 2006.

Edwards negou categoricamente o romance quando a revista sensacionalista "National Enquirer" começou a publicar informações sobre a relação, em outubro do ano passado.

"A história é falsa, é ridícula", disse então o ex-senador, que voltou a negar o episódio amoroso há apenas duas semanas.

Edwards admitiu na entrevista a "ABC" que a "National Enquirer" estava certa quando publicou que tinha visitado Hunter em um hotel da Califórnia no mês passado, apesar de, segundo seu relato, já não manter uma relação com ela. EFE tb/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG