Ex-reféns libertados por forças egípcias chegam ao Cairo

CAIRO - Os 11 turistas europeus e seus oito acompanhantes egípcios libertados nesta segunda-feira em uma operação das forças especiais egípcias no Chade desembarcaram no início desta tarde no aeroporto do Cairo.

Redação com agências internacionais |

Acordo Ortográfico

Os 19 ex-reféns, incluindo cinco alemães, cinco italianos e uma romena, tinham boa aparência ao desembarcar de um avião militar egípcio em uma base das Forças Armadas próxima ao aeroporto internacional do Cairo.


Os ex-reféns foram recebidos com flores no Cairo / AFP

Todos eles estão bem, e "nenhum resgate foi pago" aos seqüestradores, afirmou à agência de notícias AFP o ministro egípcio do Turismo, Zoheir Garrana.

Segundo uma fonte dos serviços de segurança que pediu anonimato, os reféns estavam em uma base dos sequestradores no Chade, perto da fronteira com o Sudão.

"As forças especiais egípcias os libertaram em uma operação no território chadiano, perto da fronteira com o Sudão", afirmou.

Uma funcionária do ministério egípcio do Turismo, Omayma al Husseini, disse que os reféns chegarão ao Cairo esta tarde. Uma fonte dos serviços de segurança afirmou que os reféns são esperados no aeroporto militar de Almaza, perto do aeroporto internacional do Cairo.

Sequestradores mortos

Outra fonte dos serviços de segurança egípcios disse à AFP que 30 membros das forças especiais atacaram os seqüestradores durante a madrugada, pouco antes do amanhecer, matando metade dos 35 bandidos.

"Houve uma troca de tiros, e metade dos bandidos morreu. Os outros fugiram", declarou a fonte, que não quis ser identificada.

Segundo esta fonte, as forças egípcias receberam o apoio de comandos italianos e alemães.

O ministro italiano das Relações Exteriores, Franco Frattini, se referiu ao papel desempenhado por agentes secretos e membros das forças especiais italianas.

"Temos que admitir que chegamos a este resultado graças ao profissionalismo e à eficiência dos nossos homens dos serviços secretos", declarou, desmentindo também o pagamento de um resgate.

Os cinco reféns italianos devem deixar o Cairo às 19H00 locais (14H00 de Brasília) em um vôo especial com destino a Roma.

Domingo, o Exército sudanês afirmou ter interceptado durante uma patrulha um veículo 4x4 a bordo do qual estavam os seqüestradores, matando seis bandidos, entre eles o chefe do bando, um chadiano chamado Adam Bakheet, e prendendo dois.

O Exército do Sudão afirmou que os seqüestradores eram ligados a um grupo rebelde de Darfur, o Movimento de Libertação do Sudão-Unidade (SLA-U), uma alegação imediatamente desmentida por este movimento.

Os turistas foram capturados nas imediações do planalto de Gilf al-Kebir, próximo da fronteira tríplice entre Egito, Líbia e Sudão.

A região de Gilf al-Kebir é famosa por suas pinturas rupestres (pré-históricas) e por suas formações rochosas.

Sequestros envolvendo turistas são bastante raros no Egito, embora tenham ocorrido ataques nos últimos anos.

Leia mais sobre sequestro de turistas

    Leia tudo sobre: sequestro de turistas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG