Ex-refém das Farc se muda para Miami após receber ameaças

Miami - O ex-senador colombiano Luis Eladio Pérez, que permaneceu seqüestrado pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) por mais de sete anos, chegou nesta quarta-feira a Miami, onde vai morar depois de deixar seu país por causa de ameaças de morte, informou o diário El Nuevo Herald em sua edição digital.

EFE |

    Pérez, um dos companheiros de cativeiro da ex-candidata presidencial franco-colombiana Ingrid Betancourt, disse que na segunda-feira recebeu ameaças por telefone quando prestaria depoimento em Bogotá contra dois guerrilheiros das Farc que o mantiveram seqüestrado.

    "Quando estava chegando para prestar o depoimento recebi uma ligação na qual me uma pessoa me disse: 'tome cuidado com o que vai dizer, (...) se não o matamos'", disse Pérez.

    O ex-congressista contou que após o depoimento recebeu outra ligação em sua casa de um homem que lhe advertia que ele iria se "arrepender".

    Pérez disse ainda que ficou muito preocupado com o fato de várias fontes das Farc lhe acusarem de participar da operação de resgate dos 15 seqüestrados na última semana, entre eles Betancourt.

    "Não teria colaborado com um resgate militar (...) pelo imenso risco que eles correriam. Não teria ajudado mesmo que tivessem me dado 99% de probabilidades de que sairiam com vida", assegurou o ex-senador, que chegou a Miami em companhia de sua esposa.

    Pérez foi libertado pelas Farc em fevereiro, através de uma gestão internacional liderada pelo presidente da Venezuela, Hugo Chávez.

    Leia mais sobre as Farc

      Leia tudo sobre: farc

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG