Ex-refém das Farc se diz comprometido com a paz ao retornar à Colômbia

Bogotá, 5 abr (EFE).- O político colombiano Orlando Beltrán, libertado pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) em fevereiro, retornou hoje ao país e declarou estar comprometido com a paz.

EFE |

"Este país merece, indubitavelmente, que busquemos de todas as maneiras a paz", disse Beltrán ao chegar à Colômbia vindo de Cuba.

O ex-congressista lembrou ainda os três anos de convívio em cativeiro com Ingrid Betancourt.

"Estive por três anos com ela. Ela tentou voar (escapar) e, por isso, as Farc a mantém encadeada pelo pescoço".

A ex-candidata presidencial tem sérios problemas de saúde e uma missão médica liderada pela França espera em Bogotá por uma autorização das Farc para lhe prestar assistência.

Beltrán disse que há 25 milhões de pobres no país e que "a guerrilha na Colômbia é produto dessa desigualdade social".

"Estou comprometido com a paz neste país de imensas dificuldades e imensas riquezas; o fato de ter sido seqüestrado não me faz sair correndo, venho para ficar", disse Beltrán ao jornal "El Tiempo", o de maior tiragem da Colômbia.

Beltrán, Luis Eladio Pérez, Gloria Polanco e Jorge Eduardo Géchem foram libertados no dia 27 de fevereiro pelas Farc, em uma operação a pedido do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, e da senadora colombiana Piedad Córdoba.

Após uma curta estadia na Venezuela, ele foi levado a Cuba, onde foi submetido a uma delicada intervenção cirúrgica na cabeça.

Beltrán foi seqüestrado no dia 28 de agosto de 2001. EFE ocm/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG