Ex-refém das Farc está em bom estado de saúde, dizem médicos

O sargento colombiano Pablo Emilio Moncayo, libertado na terça-feira após passar 12 anos como refém das Farc, está com boa saúde física e mental, segundo indicaram seus médicos nesta quarta-feira.

iG São Paulo |


Nohra Rodríguez, diretora do Hospital Militar de Bogotá, onde o refém passou por um check-up, afirmou que durante o tempo em que esteve sequestrado Pablo Emilio teve seis episódios de leishmaniose. Ele também apresentou uma lesão na perna e quadro de hiploglicemia.

O ex-refém passou a noite com a família. "Ao abrir os olhos esta manhã, ouvi-o conversando com a mãe, estavam olhando fotos, cochichando", afirmou o pai do ex-refém, Gustavo Moncayo, nesta quarta-feira. "Foi muito emocionante."


Gustavo e Pablo comemoram libertação / Foto: EFE

Gustavo Moncayo contou que a família passou a noite em um hotel de Bogotá, onde o jovem de 32 anos "leu um poema que se converteu em sua fonte de inspiração". "Parece que ele escreveu muitos poemas durante o cativeiro", completou.

Segundo Gustavo Moncayo, seu filho mostrou-se "muito emocionado com os avanços tecnológicos (dos últimos 12 anos), como a câmera fotográfica digital", presente que lhe foi dado pela família.

Agradecimento

Em sua primeira declaração após ser libertado, Pablo Emilio disse ser "assombroso" voltar à civilização. Ao descer do helicóptero que o levou para Florencia, ele abraçou o pai, que o esperava com outros parentes na pista do aeroporto da cidade, situada 580 km ao sul de Bogotá.

Em seguida, ergueu nos braços e abraçou a irmã caçula, Laura Valentina, de cinco anos, a quem não conhecia, e beijou a mãe, María Estela Cabrera, enquanto dezenas de familiares e amigos lhe entregaram buquês com flores brancas.

Usando uniforme militar, o sargento desceu de um helicóptero brasileiro ao lado da senadora Piedad Córdoba, e acompanhado por monsenhor Leonardo Gómez e delegados do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), integrantes da missão humanitária que o buscou da selva colombiana.

"Quero agradecer, em primeiro lugar, a Deus, ao meu pai, por seu trabalho titânico, incansável", disse Pablo Emilio, logo após chegar a Florencia.

Gustavo Moncayo, um professor de ciências sociais de 58 anos, ficou famoso pelas caminhadas de centenas de quilômetros que fez por Colômbia, Equador, Venezuela e Europa para chamar atenção para o sequestro do filho.

Pablo Emilio agradeceu ainda aos presidentes de Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, do Equador, Rafael Correa, e da Venezuela, Hugo Chávez, pelo esforço para conseguir sua libertação, sem mencionar o presidente colombiano, Álvaro Uribe.

Uribe saudou sua libertação e disse que "a Colômbia recebe de braços abertos aqueles que voltam do cativeiro e repudia com a maior firmeza os sequestradores".

Moncayo agradece apoio de Lula; veja o vídeo:



Com AFP

Leia também:


Leia mais sobre Colômbia

    Leia tudo sobre: colômbia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG