BOGOTÁ (Reuters) - Um político que passou mais de seis anos sequestrado pela guerrilha Farc e foi libertado em fevereiro disse nesta terça-feira que tem recebido ameaças de morte na Colômbia. O ex-senador e ex-governador Luis Eladio Pérez, que foi companheiro de cativeiro de Ingrid Betancourt e dos outros 14 reféns resgatados na semana passada pelo Exército, admitiu a possibilidade de deixar o país.

'Infelizmente recebemos nos últimos dois dias uma série de ameaças, que não sabemos exatamente de onde vêm, mas que sem dúvida geram uma imensa preocupação na família', disse o político a jornalistas.

Pérez disse que as ameaças foram feitas por telefonemas à sua casa, e que pessoas com acesso à guerrilha Farc alertam para a possibilidade de que ele sofra um atentado.

Desde que foi libertado, numa negociação do governo venezuelano com as Farc, o político vive em Bogotá e lidera uma campanha internacional em prol dos reféns.

Ele anda permanentemente com escolta militar.

(Por Luis Jaime Acosta)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.