Washington, 30 mar (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou hoje que ordenou a viagem de um representante especial ao Sudão, após a decisão do Governo desse país de expulsar membros de grupos de assistência humanitária em Darfur.

"Temos uma crise imediata causada pela expulsão, por parte do Governo de Cartum, de ONGs que estão dando ajuda a pessoas deslocadas no Sudão", disse o presidente.

Obama disse que falou com Scott Gration, um general reformado da Força Aérea, que viajará amanhã a Cartum e, em seguida, ao sul do país e a Darfur.

Uma das tarefas de Gration será dar novo viço ao Acordo Norte-Sul que em 2005 pôs fim a 20 anos de conflito entre ambas as regiões.

Sudão expulsou 13 grupos de ajuda humanitária depois que uma Corte Internacional de Justiça acusou o presidente Omar Hassan al-Bashir de cometer crimes de guerra em Darfur.

"Temos que encontrar um mecanismo para que essas ONGs voltem e para que se reverta essa decisão ou se encontre um mecanismo com o qual possamos evitar uma crise humanitária", disse Obama.

O presidente dos EUA reiterou a ideia de que a situação é complexa e que a resolução do problema de Darfur será difícil.

"Não esperamos soluções fáceis da noite para o dia para os velhos problemas que existem lá", afirmou. EFE ojl/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.