A expulsão de 13 organizações não-governamentais do Sudão ameaça deixar sem comida e atenção médica mais de um milhão de pessoas, afirmou a ONU nesta sexta-feira.

"Com a saída das ONGs e se o governo não reconsiderar sua posição, 1,1 milhão de pessoas ficarão sem comida, 1,5 milhão ficarão sem cuidados médicos e mais de um milhão sem água potável", explicou a porta-voz do gabinete de coordenação para Assuntos Humanitários da ONU, Elizabeth Byrs.

Pelo menos 13 organizações foram obrigadas a abandonar o Sudão depois que a Corte Penal Internacional (CPI) de Haia emitiu uma ordem de prisão por crimes de guerra e contra a humanidade para o presidente sudanês, Omar al-Bashir.

pac/cn/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.