Ex-primeiro-ministro tailandês fala do exílio para 90.000 manifestantes

O ex-primeiro-ministro da Tailândia, Thaksin Shinawatra, no exílio desde agosto, atacou violentamente os generais que o expulsaram do poder em 2006, em discurso transmitido neste sábado por telefone para 90.000 partidários reunidos num estádio de Bangcoc.

AFP |

Thaksin, que falava de um lugar não precisado, foi aclamado no estádio de Rajamangala, na periferia leste da capital tailandesa.

Foi a primeira vez que o ex-chefe de governo se dirigiu a seus seguidores desde que abandonou o país em direção à Grã-Bretanha, no começo de agosto, depois da condenação de sua esposa por evasão fiscal.

No dia 21 de outubro, o próprio Thaksin foi condenado a dois anos de prisão por corrupção.

A sociedade tailandesa está profundamente dividida entre os partidários de Thaksin e seus detratores.

Seus seguidores criaram a Frente Unida para a Democracia e Contra a Ditadura (UDD) e se encontram, em maioria, nas regiões rurais da Tailândia.

Seus opositores, reunidos na Aliança do Povo para a Democracia (PAD), tentam derrubar o atual governo do Partido do Poder do Povo (PPP), ao qual acusam de dirigir o país por conta de Thaksin.

bc/ask/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG