O ex-primeiro-ministro da Tailândia, Thaksin Shinawatra, no exílio desde agosto, atacou violentamente os generais que o expulsaram do poder em 2006, em discurso transmitido neste sábado por telefone para 90.000 partidários reunidos num estádio de Bangcoc.

Thaksin, que falava de um lugar não precisado, foi aclamado no estádio de Rajamangala, na periferia leste da capital tailandesa.

Foi a primeira vez que o ex-chefe de governo se dirigiu a seus seguidores desde que abandonou o país em direção à Grã-Bretanha, no começo de agosto, depois da condenação de sua esposa por evasão fiscal.

No dia 21 de outubro, o próprio Thaksin foi condenado a dois anos de prisão por corrupção.

A sociedade tailandesa está profundamente dividida entre os partidários de Thaksin e seus detratores.

Seus seguidores criaram a Frente Unida para a Democracia e Contra a Ditadura (UDD) e se encontram, em maioria, nas regiões rurais da Tailândia.

Seus opositores, reunidos na Aliança do Povo para a Democracia (PAD), tentam derrubar o atual governo do Partido do Poder do Povo (PPP), ao qual acusam de dirigir o país por conta de Thaksin.

bc/ask/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.