Ex-presidentes da Colômbia acham que a única saída das Farc é negociar

Bogotá, 3 jul (EFE).- Os ex-presidentes colombianos César Gaviria, Ernesto Samper e Andrés Pastrana afirmaram hoje que as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) não têm mais saída que depor as armas e negociar, após o resgate na quarta-feira de 15 reféns pelo Exército.

EFE |

Os ex-líderes destacaram a operação do Governo do presidente Álvaro Uribe e das Forças Militares na qual foram resgatados a ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt, os americanos Keith Stansell, Thomas Howes e Marc Gonsalves, e onze militares e policiais.

Gaviria, que foi presidente entre 1990 e 1994, destacou em declarações às emissoras locais "o significativo êxito do Governo do presidente Uribe".

Samper (1994-1998) disse que é preciso "reconhecer que foi uma operação bem-sucedida", mas lembrou que ainda há seqüestrados pelos quais é preciso trabalhar.

Já Pastrana (1998-2002) considerou que agora "começará um julgamento político od novo chefe das Farc", Guillermo León Sáenz, conhecido como "Alfonso Cano", que assumiu o comando depois da morte, em março passado, do fundador do grupo, Pedro Antonio Marín, mais conhecido como "Manuel Marulanda" ou "Tirofijo". EFE gta/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG