Ex-presidente Rafsandjani discursa aos partidários de Moussavi em Teerã

As autoridades iranianas perderam a confiança do povo após os resultados das eleições presidenciais, lamentou nesta sexta-feira o ex-presidente Akbar Hachemi Rafsandjani em um pronunciamento muito esperado durante a tradicional oração de sexta-feira em Teerã, e que foi seguido por uma manifestação de partidários do líder da oposição Mir Hossein Moussavi.

AFP |

As forças de segurança atuaram para tentar dispersar os manifestantes, detendo segundo vários participantes muitas pessoas, no primeiro protesto da oposição em uma semana.

Ao fazer pela primeira vez em público uma análise das agitadas semanas que seguiram a reeleição controversa de Mahmud Ahmadinejad, Rafsandjani, que dirige duas instituições-chave do regime, pediu ao poder que liberte os iranianos detidos desde à votação de 12 de junho.

"O que devemos fazer nesta situação?", perguntou Rafsandjani, acrescentando que tem uma solução já discutida pela Assembléia e o Conselho, as duas instituições que ele dirige.

"Nossa principal missão é reconquistar a confiança que o povo tinha e que, em certa pedida, foi perdida", continuou este inimigo de Ahmadinejad, que perdeu para este último a presidencial de 2005.

Esta foi a primeira vez em dois meses que Rafsandjani, apoiado por Moussavi, dirigiu uma grande operação semanal, na universidade de Teerã.

"Um grande número de pessoas duvidou do resultado da votação. Devemos trabalhar para liquidar estas dúvidas", disse Rafsandjani.

"Perdemos tudo. Precisamos mais do que nunca de unidade. Os que foram atingidos por incidentes precisam de compaixão. Devemos consolar as pessoas e aproximar seu coração do regime", admitindo que o país está em crise política.

A oposição iraniana espera provar sua força neste discurso, onde a presença de dois dos candidatos derrotados, Moussavi e Mehdi Karroubi, que não cessam de gritar "fraude", havia sido garantida. No entanto, ninguém até agora confirmou que eles tenham assistido ao ato.

Milhares de partidários de Moussavi estavam presentes no local, usando a cor verde adotada pelo candidato derrotado, segundo testemunhas.

Ao final da oração, eles cantaram pela glória de Moussavi e gritavam "Allah Akhbar" ("Deus é grande). A polícia, enviada em grande número, com os bassidjis (milícias islâmicas), tentava dispersá-los.

Contestando os resultados da presidencial, os partidários de Moussavi realizaram as maiores manifestações da história da República islâmica, que deixaram pelo menos 20 mortos.

Esta manifestação, a primeira desde a de 9 de julho, que marcava o 10 aniversário das manifestações estudantis de 1999-, ocorre no momento em que Ahmadinejad forma sua equipe para seu segundo mandato.

Um de seus próximos, Esfandiar Rahim Machaie, foi nomeado primeiro vice-presidente, segundo Ahmadinejad, citado nesta sexta-feira pela agência oficial Irna.

O ex-embaixador do Irã na Agência internacional de Energia atômica (AIEA) Ali Akbar Salehi foi nomeado chefe da Organização iraniana da energia atômica (OIEA).

jds/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG