Ex-presidente mauritano deposto desiste de voltar à capital

Nuakchott, 22 jan (EFE).- O ex-presidente mauritano Sidi Mohammed Ould Cheikh Abdalahi, que foi deposto, abandonou hoje sua tentativa de retornar a Nuakchott, após ter sido capturado nesta manhã por agentes a 50 quilômetros da capital.

EFE |

Os 15 carros da comitiva de Abdalahi foram bloqueados por uma patrulha em Wad Naga, que os disse para continuar o caminho até a capital carro por carro, separadamente.

Segundo disse à Agência Efe o vice-presidente da Aliança Popular Progressista (APP), El Khalil Ould Teyib, o objetivo dos guardas, que "simularam" uma barreira policial para controle de documento, era de dispersar o comboio que viaja com Abdalahi desde sua cidade natal, Lemden, cerca de 250 quilômetros ao sul de Nuakchott.

O grupo rejeitou a proposta dos agentes e voltou Lemden, acrescentou Ould Teyib, afirmando que Abdalahi está sendo alvo de uma campanha contra seu direito de ir e vir.

O ex-presidente, que se encontrava em Lemden desde sua libertação no final de dezembro, tinha previsto visitar, em Nuakchott, o presidente da Assembleia Nacional (câmara baixa) e seu principal aliado, Mesud Ould Buljeir, assim como fazer um discurso para seus simpatizantes.

Nesse discurso, segundo informou seu porta-voz, Ahmed Ould Samba, Abdalahi iria propor uma iniciativa para proteger a seu país de eventuais sanções por parte da comunidade internacional. EFE mo-mgr/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG