Ex-presidente iraniano pede libertação de presos políticos

Teerã, 20 jul (EFE).- O ex-presidente iraniano Mohamad Khatami alertou as autoridades para a necessidade de libertar os presos políticos detidos no Irã durante os protestos registrados após as eleições presidenciais de 12 de junho.

EFE |

Khatami fez estas declarações durante a reunião que o partido dos Clérigos Combatentes manteve no domingo, em Teerã, com um grupo de parentes dos detidos, informou hoje o secretário-executivo dessa legenda reformista, Majid Ansari.

"Nessa reunião, um grupo de parentes dos detidos após as décimas eleições presidenciais do Irã se reuniram com os membros da assembleia de Clérigos Combatentes para informar sobre a situação dos detidos", disse Ansari em declarações à "Agência de Notícias dos Operários do Irã" ("Ilna").

O secretário-executivo do partido dirigido por Mohamad Khatami explicou que alguns familiares se queixaram da forma como as detenções foram feitas e da falta de informação por parte das autoridades judiciais e de segurança sobre a situação atual dos detidos.

"Os parentes dos detidos disseram não ter conhecimento do lugar onde estão e se queixaram da falta de cumprimento das normas legais em relação a eles", afirmou Ansari.

"O senhor Khatami pediu a libertação imediata dos prisioneiros políticos", acrescentou.

Após as eleições, vencidas pelo presidente, Mahmoud Ahmadinejad, milhares de pessoas foram às ruas de várias cidades iranianas, especialmente de Teerã, para protestar contra os resultados, qualificados de "fraudulentos" pelo segundo candidato mais votado e líder opositor, Mir Hussein Moussavi.

Os atos, que se estenderam durante várias semanas, foram reprimidos pela Polícia com uma saldo oficial de 20 mortos, centenas de feridos e milhares de detidos. EFE msh/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG