Ex-presidente iraniano diz que dar ultimato ao Irã é algo irrelevante

Teerã, 25 jul (EFE).- O ex-presidente iraniano Ali Akbar Hashemi Rafsanjani disse hoje que é algo irrelevante dar um ultimato ao Irã para solucionar a polêmica que mantém com Ocidente por seu polêmico programa nuclear.

EFE |

Rafsanjani deu esta declaração no sermão oficial das sextas-feiras de Teerã, informa a agência "Mehr".

"Por que se apresenta um ultimato quando se decidiu realizar diálogos", questiona.

As declarações de Rafsanjani foram dadas quatro dias após a secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, ameaçar o Irã com medidas punitivas se não anunciar, dentro de duas semanas, uma resposta clara à exigência para abandonar o enriquecimento de urânio.

"Deixem de dar desculpas e permitam que os especialistas conversem para solucionar o caso (nuclear iraniano), e desta forma a região se livrará de ameaças e terrores", declarou o clérigo iraniano, presidente da poderosa Assembléia de Analistas do Irã.

Além disso, Rafsanjani expressou sua surpresa ao lembrar que "enquanto o ambiente do dialogo se recuperou, alguns países radicais - que não identificou - começaram a exercer pressões psicológicas".

Ele disse que o "Irã finalmente aceitou dialogar e ofereceu propostas e desta forma começaram as negociações. No entanto, começaram as declarações radicais justo quando o mundo ia respirar confortavelmente".

Neste sentido, afirmou que isto "demonstra que existem algumas correntes que não toleram a tranqüilidade na região".

Na opinião de Rafsanjani, "a questão nuclear iraniana se transformou hoje dia em uma demonstração da inocência do Irã e da arrogância das potências ocidentais", enquanto afirmou que o programa nuclear que seu país desenvolve é com fins pacíficos. EFE msh/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG