Ex-presidente equatoriano pede renúncia de Correa por vídeo das Farc

Quito, 18 jul (EFE).- O ex-presidente equatoriano Lúcio Gutiérrez exigiu hoje que o atual governante, Rafael Correa, renuncie ao cargo devido às provas evidentes contidas em um vídeo das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), no qual um rebelde diz que a guerrilha teria financiado a campanha eleitoral do líder em 2006.

EFE |

"O vídeo é autêntico", acusou Gutiérrez após declarar, em uma entrevista ao canal "UNO", que a gravação "indignou os equatorianos".

"Perante tanta indignação, exigimos a renúncia de Rafael Correa, se ele tem um pouco de vergonha na cara tem que renunciar e as autoridades competentes têm que emitir a ordem de prisão" contra o presidente, exigiu.

As Farc que "assassinam crianças, mulheres e idosos, que negociam drogas e extorquem, são quem financiou a campanha e permitiu que Correa chegasse a ser presidente do Equador", afirmou o ex-líder, que dirige o partido opositor Sociedade Patriótica.

"As pessoas se perguntavam de onde tirava (dinheiro para financiar) uma campanha multimilionária", e foi com um "dinheiro sujo e manchado de sangue", com o qual "fizeram a última fraude eleitoral", segundo ele, produzida nas eleições gerais de abril, nas quais perdeu para Correa.

Ele anunciou também que se o promotor não "agir", seu partido apresentará "um processo formal para que se investigue" o financiamento da campanha eleitoral de Correa.

O ex-presidente ameçou ainda levar a questão à "Corte Internacional, porque o narcotráfico é um crime transnacional", caso a denúncia não seja apurada no Equador.

Gutiérrez disse que as autoridades competentes têm que "fazer Correa renunciar", porque "as evidências são contundentes".

As declarações do ex-líder foram feitas horas depois de a imprensa colombiana ter apresentado um vídeo gravado em 2008 no qual José Briceño, conhecido como "Mono Jojoy", membro do comando das Farc, diz que a guerrilha teria financiado parte da campanha do presidente equatoriano. EFE ic/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG