Ex-presidente diz que Betancourt é bem-vinda em coalizão contra Uribe

Bogotá, 11 ago (EFE).- O ex-presidente colombiano César Gaviria disse que a ex-candidata presidencial e ex-refém das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) Ingrid Betancourt é bem-vinda à grande coalizão promovida por ele contra a eventual candidatura do presidente Álvaro Uribe a um terceiro mandato.

EFE |

Betancourt "será bem-vinda", afirmou o também ex-secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA) em entrevista publicada hoje pelo jornal "El Tiempo".

No entanto, Gaviria disse que, no caso de Betancourt, o problema é que "ela deve achar que não precisa nem de partidos nem de coalizões para ser candidata" à Presidência.

"Os colombianos têm hoje uma grande admiração por sua coragem e força, pois nunca se dobrou, e saiu do seqüestro pensando e raciocinando com clareza e sentido humano", acrescentou Gaviria que.

após dez anos como secretário-geral da OEA, retornou ao país em 2004 para liderar o Partido Liberal Colombiano, do qual Uribe é dissidente.

Há vários meses, Gaviria promove uma grande coalizão com vistas ao pleito de 2010, ao qual Uribe não decidiu se concorrerá como candidato a uma segunda reeleição consecutiva.

"Não achamos que, para uma eleição presidencial, valha a pena uma opção simplesmente partidária", disse o ex-chefe de Estado colombiano. "Vamos em uma grande coalizão, independentemente de saber se o presidente será candidato ou não", comentou.

Gaviria disse que seu projeto quer "oferecer várias opções, pois no segundo turno (das eleições de 2010), é necessário escolher uma com apoio da maioria dos colombianos, e hoje nenhum partido se aproxima disso".

Segundo ele, nessa coalizão podem estar pessoas que apóiem Uribe, mas não sua continuidade no poder e, claro, seus opositores, como o esquerdista Luis Eduardo Garzón, ex-prefeito de Bogotá e ex-candidato presidencial.

"Eles (os seguidores de Uribe) devem ter uma conduta irretocável e pensar de maneira compatível com nossos princípios", explicou Gaviria.

Neste sentido, o ex-presidente disse que, quanto a Betancourt, "pelo que pode se perceber antes e depois de seu seqüestro, ela tem uma concepção da sociedade colombiana muito distinta da do presidente".

"Se fizer política, oferecerá uma alternativa e não uma simples continuidade", acrescentou Gaviria.

Betancourt não informou se retomará a atividade política após sua experiência como candidata à Presidência colombiana no pleito de maio de 2002.

Ela não pôde concorrer naquele ano por ter sido seqüestrada três meses antes pelas Farc, que a incluíram em uma relação de "passíveis de troca" por insurgentes presos.

A ex-candidata foi resgatada em 2 de julho juntamente com outros 14 reféns em uma operação militar nas selvas do departamento (estado) de Guaviare. EFE jgh/wr/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG