Ex-presidente divulga vídeo que volta a ligar Correa às Farc

Quito, 3 ago (EFE).- O ex-presidente do Equador Lúcio Gutiérrez divulgou hoje um vídeo, que seria de 2007, no qual o então secretário anticorrupção do Panamá, Enrique Montenegro, denuncia vínculos do chefe de Estado Rafael Correa com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

EFE |

Gutiérrez apresentou o vídeo no canal de TV equatoriano "Uno", gravação que segundo ele foi tornada pública ainda em 2007, antes do bombardeio colombiano em terras do Equador contra um acampamento das Farc e antes da divulgação dos conteúdos dos computadores de "Raúl Reyes", então segundo no comando da guerrilha.

Nos computadores de "Reyes", morto no bombardeio, as autoridades colombianas encontraram documentos que apontavam vínculos do Governo de Correa com as Farc.

O vídeo apresentado pelo ex-líder se trata de uma informação, aparentemente elaborada para um jornal de TV panamenho, no qual um homem, que o locutor identifica como Enrique Montenegro, secretário da Frente Anticorrupção do Panamá, apresenta uma série de relatórios da inteligência de seu país.

Montenegro explica perante as câmeras que esses relatórios dizem que "o Governo do presidente Rafael Correa está plenamente penetrado pela guerrilha" e detalha "como as Farc operam no Equador e como se pretende envolver o Panamá" em assuntos da guerrilha através de empresas.

De acordo com o ex-presidente equatoriano, seu partido denunciou então no Parlamento o conteúdo do vídeo. "Mas em seguida fomos acusados de traição à pátria e de atentar contra a segurança nacional", assegurou.

"Se houvesse um pouquinho de vergonha na cara, nos organismos de controle, na Promotoria, no Conselho Nacional Eleitoral, já teriam sido abertas indagações contra Correa e os membros de seu Governo que têm vínculos com as Farc", acrescentou.

Gutiérrez, coronel retirado do Exército, foi presidente entre janeiro de 2003 e abril de 2005, quando um movimento popular forçou sua saída do Governo com protestos nas ruas. EFE ic/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG