Ex-presidente de Israel indiciado por estupro

A justiça israelense indiciou formalmente nesta quinta-feira por assédio sexual e estupro o ex-presidente israelense Moshe Katzav, que renunciou ao cargo pelas acusações, informou um porta-voz do ministério da Justiça.

AFP |

Katsav corre o risco de ser condenado a 16 anos de prisão se for declarado culpado.

Katsav, de 63 anos, renunciou a suas funções de presidente do Estado hebreu em 29 de junho de 2007 depois de ter sido suspenso delas em janeiro do mesmo ano a seu próprio pedido.

O caso explodiu em julho de 2006 quando ele acusou uma ex-colaboradora de querer chantageá-lo, mas a investigação terminou por mostrar que esta pessoa o acusava de estupro.

Depois de vários meses de investigação, Katsav chegou a um acordo aprovado pela Suprema Corte de que não seria processado por assédio sexual, atos indecentes ou suborno de testemunhas, enquanto as acusações de estupro foram abandonadas.

Mas no primeiro dia de seu processo em abril de 2008 ele anunciou que rejeitava esse compromisso e que desejava lutar por sua inocência.

A anulação do acordo levou a promotoria israelense a endurecer os termos da ata de acusação. O procurador-geral Menahem Mazouz havia dado a entender, depois do anúncio da decisão de Katsav, que este último se expunha a acusações mais severas ao fazer isso.

rb-dlm/ap/cn/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG