Ex-presidente de Israel é indiciado por estupro

O ex-presidente israelense Moshe Katsav foi indiciado formalmente por estupro e outras ofensas sexuais em uma corte de Tel Aviv nesta quinta-feira. Ainda não foi marcada a data para o julgamento.

BBC Brasil |

As acusações partiram de três ex-funcionárias que trabalharam para Katsav quando ele foi ministro do Turismo e, posteriormente, presidente.

Katsav é acusado de ter estuprado duas vezes uma funcionária quando ocupava a pasta de Turismo, entre 1996 e 1999, e também de tê-la forçado a cometer um ato indecente.

Ele é ainda acusado de ter assediado sexualmente outras duas funcionárias - e no caso de uma delas ter cometido um ato indecente - no gabinete presidencial, depois de ter assumido o cargo no ano 2000.

Katsav, de 63 anos de idade, ainda enfrenta a acusação de tentar adulterar um testemunho depois que o escândalo veio à tona, em 2006.

O político, que renunciou à presidência em 2007, nega todas as acusações.

No ano passado, ele rejeitou um acordo pelo qual ele admitiria culpa por má-conduta sexual, mas evitaria acusações mais sérias.

Ele afirmou que quer provar sua inocência no tribunal.

Se for considerado culpado das acusações de estupro, Katsav poderá ser condenado a 16 anos de prisão. Ele seria o primeiro ex-chefe de Estado israelense a ser condenado por crimes sexuais.

Mas seu antecessor, Ezer Weizman, foi o primeiro chefe de Estado israelense a ser forçado a deixar o cargo. Ele renunciou no ano 2000 em meio a acusações de corrupção.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG